A Lenda Viva nos deixou

10/10/2017

E deu ‘Oh da Casa’ na Estância Celestial “Mas o destaque é o extraordinário Adelar Bertussi, com certeza o mais completo acordeonista que já se viu mundo afora. Tanto solo como em segundo plano, Adelar é um homem que fez de ouro puro as letras que usou para escrever sua trajetória artística. Sendo um gênio com a gaita em seus braços, é mundialmente reconhecido pelos próprios méritos, coisa que lhe proporcionou muitos títulos honrosos: O Tropeiro da Música Gaúcha, O Mito Rio-Grandense, A Lenda Viva dos Pagos e O Gaúcho Patrimônio do Rio Grande do Sul. E ele é ainda considerado, em razão dos feitos que elevaram benignamente todo o Sul do país, como a Lenda Viva dos Gaúchos e A única estatua que caminha e vive tocando e cantando pelos pagos do Sul.” Extraído do livro de Elio Moreira

Adelar Bertussi foi um músico, acordeonista, cantor e compositor, destaque no cenário nacional. Foi um dos pioneiros na música tradicionalista gaúcha, junto com seu irmão Honeyde Bertussi. Nasceu em 15 de fevereiro de 1933, Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Faleceu aos 84 anos, em 30 de setembro de 2017 num hospital do Paraná, onde estava radicado há mais de duas décadas.

O sepultamento do músico tradicionalista Adelar Bertussi ocorreu na manhã do dia 02.10.2017, em Caxias do Sul, depois de uma cerimônia com um 'gaitaço' na igreja da comunidade de São Jorge da Mulada, na localidade de Criúva.

Ele foi um dos pioneiros da música tradicional gaúcha ao lado do irmão Honeyde. Os dois se destacaram e passaram a formar a dupla Irmãos Bertussi. Foram 70 anos dedicados à arte, com 400 músicas gravadas.

Adelar nasceu em Criúva, hoje distrito de Caxias do Sul, e vem de uma família italiana muito envolvida com a música. Os Bertussi ajudaram a difundir a cultura na região serrana, contribuindo para o desenvolvimento da música regional. 

Junto do irmão Honeyde, Adelar formou a dupla Irmãos Bertussi e fez sucesso na música tradicionalista na década de 1950.  O dueto de acordeom deu início à moda de baile com duas gaitas em vez de uma só. Ao longo da carreira, o músico já gravou mais de 50 discos e viajou com shows por diferentes regiões do país. Hoje, Gilney, um dos filhos de Adelar, segue a tradição da família com o grupo Os Bertussi.

A influência da família na música tradicional gaúcha é lembrada no Memorial aos Irmãos Bertussi, inaugurado em 2008. A residência histórica da família funciona como museu. Adelar deixa a esposa, Angela, e os filhos Gilmar, Gilney, Adelar Júnior e Samanta.

No 2º. Baile da Mariquinha realizado em 18 de agosto de 2012, no Marrecas Clube, tivemos a honra de receber Adelar Bertussi para fazer um show, acompanhado por Julio Cezar Leonardi e Grupo Fandangueiro. É admirável seu carisma e o contato que mantinha com o público, fazendo intervalo entre as músicas e contanto causos, e as pessoas na pista dando total atenção às suas falas. No domingo ele viajaria à tarde, resolvemos fazer um churrasco, e de sua chegada à sua saída, manteve todos com a atenção voltada a ele, contando parte de sua vida e trajetória, da importância fazenda da Criúva para ele e sua família. 

Foto: Daniela Xu / Agencia RBS

 




A Lenda Viva nos deixou